Plasma de Argônio

Plasma de Argônio: alternativa para o reganho de peso após bariátrica

O Plasma de Argônio é uma técnica endoscópica muito utilizada para conter sangramentos e cauterizar lesões no aparelho digestivo.

Há um pouco mais de dez anos, ele também vem sendo aplicado no Brasil para fechar as emendas entre o estômago e o intestino (anastomose), realizadas na cirurgia bariátrica. Através deste procedimento, é possível que haja o efeito restritivo da cirurgia e que se evite o reganho de peso após o procedimento.

Entenda melhor sobre as vantagens do plasma de argônio, neste artigo.

Benefícios do plasma de argônio

O plasma de argônio auxilia o paciente que fez bariátrica, porque promove a termocoagulação da mucosa da anastomose gastrointestinal, estreitando esta ligação entre estômago e intestino. Com isso, o esvaziamento do estômago demora mais e a sensação de saciedade se prolonga por mais tempo.

O procedimento é bastante seguro, rápido, com baixo índice de complicações. Para fins de auxílio no combate ao reganho de peso, é eficaz em mais de 70% das vezes. É feito por endoscopia, sem anestesia geral. Apenas com a sedação típica de um exame endoscópico.

O plasma de argônio é indicado para aqueles pacientes que realizaram a cirurgia de Bypass e que, após dois anos ou mais da realização da bariátrica voltaram a ganhar peso.

Contraindicações do plasma de argônio

O plasma de argônio só é indicado para quem realizou a técnica Bypass. Então, para qualquer outra técnica de redução do estômago, o método não pode ser aplicado.

Além disso, o paciente precisa estar em boas condições de saúde para realizar o procedimento.

Pré-operatório do plasma de argônio

Normalmente, é necessário uma endoscopia prévia para avaliar se o paciente é candidato ao procedimento e se possui anastomose alargada. Exames de coagulação podem ser pedidos para avaliar o perfil de coagulação do paciente.

Como é feito o procedimento?

O plasma de argônio é feito como uma endoscopia. O endoscopista passa um cateter com duplo lúmen por dentro do endoscópico, indo até a região baixa do estômago.

É disparado, então, uma corrente elétrica por meio de um dos cateteres. No outro, passa o gás argônio. Quando ambos se encontram próximo à mucosa da anastomose, formam um plasma que promove a coagulação do tecido local.

Apenas médicos endoscopistas treinados na técnica estão aptos para realizá-la.

Cuidados após a realização do plasma de argônio

Após o procedimento, é necessário seguir uma dieta muito parecida com a dieta da bariátrica. É necessário tomar um medicamento para proteção do estômago e outros que ajudem na cicatrização do local onde foi aplicado o argônio.

Normalmente, o tratamento leva de duas a três sessões para se alcançar o objetivo.

É importante ressaltar que o plasma de argônio não é um tratamento de emagrecimento. O objetivo da técnica é fazer uma correção da anatomia cirúrgica, para que o efeito da cirurgia bariátrica seja recuperado.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo, bariátrica e cirurgia geral em Umuarama.

O que deseja encontrar?

Compartilhe