Endoscopia Digestiva Alta

Endoscopia digestiva alta: o que é e quando é indicada?

Endoscopia digestiva alta é nome dado a um exame muito usado no diagnóstico de doenças gástricas, como gastrite e refluxo. Ela tem esse nome pois analisa a parte superior do tubo digestivo, onde estão localizados o esôfago, o estômago e o início do duodeno.

Quando procuramos o médico em função de sintomas nessas regiões, como azia frequente, falta de apetite, dor de estômago e sensação de estufamento abdominal, é normal que o profissional indique a realização deste tipo de exame.

Por falta de conhecimento, é comum que as pessoas fiquem receosas diante da necessidade da realização do procedimento.

Por isso, no artigo de hoje, vamos esclarecer o que de fato é a endoscopia digestiva alta e quando ela é indicada

Confira no texto, a seguir.

Indicações da endoscopia digestiva alta

Além da gastrite e do refluxo gastroesofágico, a endoscopia é capaz de identificar uma série de doenças no aparelho digestivo, entre elas as esofagites, a hérnia de hiato e até alguns tipos de câncer.

No caso dos tumores, o exame torna-se extremamente importante para a detecção precoce de câncer no esôfago e no estômago. De acordo com fatores de risco (como esôfago de Barrett ou presença de casos de câncer gástrico na família, por exemplo), o oncologista pode indicar a realização do exame com periodicamente.

Preparação para a endoscopia

O paciente precisa estar em jejum total de 8 a 12 horas. No dia anterior ao procedimento, deve-se, no dia anterior, ingerir apenas alimentos leves e de rápida digestão, como sopas e caldos.

É importante estar acompanhado de alguém maior de idade, pois não é permitido fazer o exame sozinho.

Logo antes do procedimento, é fornecida uma solução com medicamento para eliminar gases e bolhas que podem atrapalhar o exame.

Como é feita a endoscopia?

O paciente é colocado deitado e recebe um sedativo. Após a sedação, é colocada uma espécie de máscara que mantém a boca do paciente para que ela fique aberta.

O sedativo utilizado é administrado por via intravenosa e só dura o tempo do exame, que costuma não ultrapassar 15 minutos. Durante esse período, tanto a oxigenação quanto a frequência cardíaca são monitoradas.

Após a anestesia, o médico responsável pela realização do exame insere um tubo flexível, chamado endoscópio, pela garganta. Esse tupo tem uma câmera e uma luz na ponta, o que permite que o órgão analisado seja enxergado com bastante nitidez.

O instrumento traz em um monitor imagens, em tempo real, do aparelho digestivo do paciente. Enquanto o endoscópio é conduzido pelo trato digestivo, é possível observar as condições dos tecidos, além de tirar fotos para análise posterior.

Além disso, é possível, dependendo da indicação e do caso, que sejam removidos pólipos e materiais para biópsia com o próprio endoscópio.

A endoscopia digestiva alta é um exame muito seguro. Por isso, não há o que temer, caso o médico indique a sua realização.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo, bariátrica e cirurgia geral em Umuarama.

O que deseja encontrar?

Compartilhe